sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Lado Z


Minha fúria escondes segredos de um coração zen,
que voa sozinho num zepelim divíno,
onde todos zombam e rezam muito, mas nunca dizem amém.
O "mantra" deles me deixa distraído e zonzo,
saio por ai como um zumbi, procurando pela sua alma,
acompanhado apenas do zéfiro que acaricía meu rosto...
Zelo pela minha liberdade e por você,
pois o amor pra mim sempre andou em zigue-zague,
nessa outra dimensão, ouro e zinco tem o mesmo valor,
e a batida da zabumba só declara dor.

6 comentários:

DuDu Magalhães disse...

Contrapartida irreal à vida?!

Veiga disse...

bonito.

Mayna disse...

Complexo.
Mas gostei de seu texto

http://maynabuco.blogspot.com

Julio Melo disse...

muito bom mesmo

zabumba...
muito legal

lais disse...

Adorei esse...

THIAGO PAULO disse...

Muito legal!! O Z sempre presente no texto ficou bem interessante!!

Até... Breve!