domingo, 2 de julho de 2006

Passagem Pela Estrada Do Sol

Recitar o mal do desdém
Antes que o bom um dia faça por mim
Um prisioneiro hesitado a esse fim
Que reza tanto mas num grita amém

É como quando me perco entre eles
Sinto meu corpo pesado, pagando castigo
Berro que não e juro que sim...faço escândalo
Mas no fundo eu nem ligo

Que dificuldade se tem com a verdade
E quase sempre machuca e é bom
É cansativo sempre estar na contra-mão
E é solitário a sensação de liberdade

Pois sei que o que é bom pra eles não faz o mesmo efeito em mim
O sol se esconde por trás de um filtro de cigarro...
E eu fico lá, impregnando em mim o que deveria estar fora
E o inferno desse jeito não me parece muito ruim







OBS: escrito em parceria com meu brow Marquinhos Cazuza

2 comentários:

Lais disse...

Oiii
o texto esta muito bom como sempre...hehhe e claro naum desfazendo do seu amigo q tbm te ajudou, ficou muito bom msm, meio melancolico rsrs..
ficou bom!
beijinhus

Julio Moraes disse...

mto diferente..mto legal..
abraços brow..