segunda-feira, 14 de agosto de 2006

Non, Je Ne Regrete Rien


Saudade do q nunca tive.
Saudade d ser criança e não ter grandes problemas e preocupações.
Saudade daquele colorido q eu enxergava quando estava bem com ela.
Mas tudo agora parece muito distante e fora d foco.
Aquela sensação familiar volta e eu apenas fecho meus olhos e sinto meus sentidos chegando ao ápice e sumindo ao mesmo tempo.
Dormir sem saber as coisas boas do seu dia, a falta de intensidade e o excesso de mesmice faz eu impregnar em mim oq deveria estar fora.
Um pouco de bem e um pouco d mal, tudo dentro do mesmo coração.
Me concentro no sangue q escorre e no amor q transborda, a luz entra devagar e as cores voltam.
A fumaça pinta meu teto e vejo como sou ingrato, tive tudo q não mereci e que sempre quis ter.
Me distraio, me entorpeço, me machuco, me engano pra fingir que isso é indolor.
Tudo acaba fazendo sentido, pq todo mundo é parecido quando sente dor.
O reflexo no espelho me dando ultimatos e perguntando quem sou.
A luz continua invadindo.
Ela vem linda até a mim, exaltando a sedução do corpo e a beleza da alma.
Veio pra me completar, me trazer de volta a calma.
Primeiro é o beijo, lábio se perdendo em lábio, língua procurando língua. Pra ver se a boca combina.
Depois pele com pele, malícia com malícia, é a morte e o nascimento juntos.
Eu odeio o amor, mas só respiro ele.

E não!!!
NÃO ME ARREPENDO DE NADA!!!

6 comentários:

Douglas disse...

Meus parabéns pelo seu texto, camarada.
Trás com ele pensamentos reflexivos, nostalgia e contradição. Perfeito!

Meus parabéns!

As vezes é bom lembrar de como era fácil dormir quando eramos crianças, e de como agora tantas coisas nos tiram o sono..

=\
é triste!

Abração!

ps: eu achei seu blog na comunidade do Orkut! (:

italo disse...

Opa
Marcando presença

parabéns
escreve bonito!!!!

Falows garoto

Sil disse...

Pois é...
O amor é mesmo um paradoxo...

Lais disse...

Nem precisa do meu humilde cometario...
Sabe, eu tbm tenho saudade de qd era criança, apenas sonhava, naum me preocupava com nda, ou melhor a unica preocupação era "o qeu ia ganhar de natal ou do colelhinho da pascoa?" hj eu penso nisso e naum vejo como uma coisa futil, e sim como uma coisa que toda criança pensa.
Ah e o amor..amor.........kem foi o idiota q inventou issu, me fala???? ou melhor naum fala se naum sou capaz de cometer um assassinato!!!!!!!!
Beiju e o seu texto esta muito bom! hehhheheh

babih disse...

Oii...
nosssa..mi impressiono com u q tu iscreve..
sério..
adoroo..eh simpless...e taum completo!!

e qdo for escrever um livro " mi xama pranoit d autógrafos" ahsuhaus

Parabéns...

bjoo

Mary disse...

lindo o texto!... você escreve bem!
me lembra muitas coisas de meus pesamentos e meus textos também.