sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Letargia



Estou sozinho. Você está sozinho.
Estamos todos sozinhos, juntos numa solidão coletiva.
Sempre foi assim, nascemos, vivemos e morremos sozinhos, mesmo quando uma multidão te cerca.
A quebra do silêncio que só você escuta.
A quebra do silêncio que só, você escuta.
Mal nenhum apaga aquele sentimento sem nome que me invade quando estou daquele jeito mas não tente me entender, porque nenhum herói ou vilão sabe o que faz.
Crianças brincam com fragmentos da vida enquanto idosos relembram e reclamam da vida, como se isso fosse um mantra.
De alguma forma, todos amores são brutos e toda vida é solitária.

4 comentários:

Guga Paz disse...

o texto é seu???

Muito bom. Muito bom mesmo!!!

Só discordo de que a idéia de solidão coletiva sempre existiu.

Axo q nem sempre foi assim...

Parabéns!!

Lais disse...

Oi
esse definitivamente é um dos melhores...curto...e msm assim diz tudo....solidão..sim no undo todos nós estamos sós...msm no meio da multidão...


kiss

Mayck disse...

Cara discordo acho que vc deve ser muito solitario para falar isso
Solidao existe mais nao exageradamente do jeito que vc falou.

Alexandre Carneiro disse...

Danilo, o texto é muito bonito. um dia, tbm escrevi poemas falando de solidão. por esse motivo discordo um pouco de vc. solidão existe sim, mas temos que fazer algo para mudar isso. não necessariamente que você seja solitário, mas tudo em seus poemas indicam isto. logo após constituir família, com esposa e filhos, parei de escrever sobre solidão e nem me dei conta. pense nisso.
parabéns pelo blog. abraços.