segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Pensamentos Noturnos

Consigo perceber tudo
desde seu modo de andar até o motivo de estar com esse vestido
e vou te acalmar
com palavras sem sentido que só você compreenderá.
Das chuvas que molharam seu corpo
nenhuma conseguiu invadir sua alma
das dores que lhe tiraram o sono
nenhuma teve chance de cicatrizar
então fica aqui comigo
e não deixe a noite acabar...
não deixe a noite acabar.
Essas lembranças vão pra sempre ser presentes
e nesse caso, o pra sempre nunca acaba.

Não consegui evitar meus deslizes
não pude esconder minhas cicatrizes
a culpa me assombra, ata-me as mãos e venda-me os olhos,
trazendo lembranças que tinha esquecido
e dores que pareciam ter partido.
Ouvir conselhos não faz muito efeito em mim
mas tenho pouco tempo e sinto que vou terminar sozinho se continuar me sentindo assim.
Mas devo lembrar-me que depois que a plantação ardeu em chamas,
as sementes renasceram outra vez.
Portanto, nada como um sorriso comum e paranóico,
para não perceber a velocidade terrível da queda.

7 comentários:

Reverendo FerAuZ disse...

Muito bom seu poema.
Parabens pela obra!!!

The_Lennon disse...

Sinistro.
mt mesmo esse texto
parabens.

Alexandre Carneiro disse...

show de bola esse seu poema. mt profundo msm. parabéns.

polly disse...

nossa..muito lindo seu texto mesmo..
bem profundo..envolvente..
parabens!
T+

Alexandre Carneiro disse...

Como já comentei aqui, vou comentar no post anterior. vlw.

Pa[†φ] BEiJo disse...

hauha o rei dos extremos, quanod não é sacana é deprimente...

muito bom mesmo, parece uma musica...

calma ai, num to falando que vc plagiou nada, estou falando que se inventasse de cantar seria uma musica perfeita... um rock...

bjus

Anónimo disse...

Mto bom