sexta-feira, 2 de março de 2007

Por Enquanto


Amor carnal e temperamental
que foge do que é banal
que é longe de ser comum
que faz 2 tornarem-se 1.
Maltrata e afaga
inventa a própria chaga.
Dos males o menor
dos bens quero o maior.
Rima pobre, sacana e seca
malícia pura
que compra emoção e vende solidão.
Sofrer pega mal
o silêncio diz mais do que palavras
língua morta na terra e ativa no corpo.
E o mundo parece estar tão calado
o corpo entediado
sinto saudade do não aconteceu
sinto que não chegou ao fim
mas por enquanto vai continuar assim.
Não tem dó no peito
nem se arrepende do que foi feito
se entrega ao pior inimigo
pois lá encontra um abrigo.
O amor é carnal e temperamental.




..."te quero no escuro como um cego tateando estrelas distraídas,
são amores secretos debaixo de guarda-chuvas"...

3 comentários:

Lais disse...

Oe
muito bom esse poema.
puramente apaixonado, não?
beijo

Biaah disse...

Hummm tá apaixonado heinnn!
hehe seus textos ficaram simplismente LINDOS!
parabééns hein e quando lançar o livro não esuqece de me avisar hein rsrsrs
bjãão!

Lais disse...

Olá amor!
eu sei desses dias que vc está inspirado rsrs
O que vc achou da música do meu blog?
Beijoo